sexta-feira, 11 de julho de 2008

AS AMÉLIAS DE HOJE


AS AMÉLIAS DE HOJE
Por Luci Ane G.Melo
(11/07/08- 18:31)

Ser Amélia ou ser Maria
Não significa ser vazia
Pois mulher sempre será
A mulher resignada sempre luta
E cria nova estrada
Sem portanto de um homem precisar
Na companhia de homens verdadeiros
Essas mulheres vêem primeiro
Novos mundos a conquistar.
As Marias e Amélias
Sejam novas ou mais velhas
São mulheres de valor
Em sua beleza de heroina
Bebem águas cristalinas
Pra vida continuar.
São mulheres de verdade
Pois em sua mocidade
Muita luta já travou
Me pedoe senhor poeta
Mas a Amélia que tu pregas
Sempre é vista com horror.
Pois mulher que se presa
Respeita sua identidade.
Não se anula, nem por bondade
Muito menos por um senhor.
Quero aqui dizer em poesia
Que as mulheres chamadas Marias
Nunca foram de brincar.
Na história da humanidade
Sempre houve mulheres de verdade
Que mesmo vivendo da caridade
Demonstraram dignidade.
Só um homem enlouquecido
Pode pensar que tem sentido
Ignorar o seu valor.
As mulheres dou "Glórias"
Pois até Jesus em sua vida
Tinha sua preferida
E nunca da mulher esnobou.
Deus nos fez Santificadas
Lembrando Maria em seu leito
Que sempre levou seu filho no peito
Agradeceu seu martírio.
Maria -Mãe dos homens na Terra
Não pensem amigos que enlouqueci.
Quando falo da mãe e da filha.
Sei que na natureza não há como ser
Mãe ou filha sem pai pra participar
Então poeta deixe de lado sua vaidade
E sua mulher vá conquistar
Ao respeitar nós mulheres
Respeitamos a humanidade
Pois ser gente de verdade
É o que tem mesmo valor.

Um comentário:

Minha Casa - meu canto disse...

Luci parabéns por sua poesia, que retrata tão bem a alma da mulher guerreira. Escrever é uma necessidade eu gostaria de ter este talento. Um feliz Ano Novo e continue escrevendo. Um abraço. Nice.